terça-feira, 1 de agosto de 2017

Governo Federal garante duplicação da BR-101 no Espírito Santo, mas admite ampliação de prazo

31/07/2017 - G1

Informação foi dada durante reunião na sede do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Espírito Santo, na manhã desta segunda (31).

Por Daniela Carla, TV Gazeta

Ministro dos Transportes se reúne com bancada capixaba (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Ministro dos Transportes se reúne com bancada capixaba (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

O diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres, Jorge bastos, e o ministro dos Transportes, Mauricío Quintela, garantiram a duplicação da BR-101, mas admitiram que o prazo para a conclusão será ampliado. A informação foi dada durante reunião na sede do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Espírito Santo, na manhã desta segunda-feira (31).

“Nosso objetivo é conversar com a bancada, mostrar como estão os contratos, o andamento das discussões na ANTT e dizer que a duplicação da BR-101 é uma exigência contratual, não há outro plano do governo, a não ser duplicar a rodovia. Todos nós sabemos que a BR-101, no Espírito Santo, está num contexto nacional”, disse o ministro.

Quintela explicou que a mudança no planejamento aconteceu por causa do cenário econômico, não só no estado, mas em todo o Brasil.

“Foram concessões feitas num momento que não é o atual. Havia perspectiva de crescimento no país na ordem de 3,5% ao ano e o que se viu foi uma recessão muito grande. Isso afetou a demanda, afetou o financiamento. Então o governo federal e o Congresso Nacional já aprovaram um instrumento de concessões, que permite repactuações, devolução amigável de concessão, reequilíbrio”, falou.

A possibilidade de mudança no contrato entre o governo federal e a concessionária que administra a BR-101 está sendo discutida com representantes da bancada capixaba no congresso.

“A repactuação não vai prejudicar o usuário capixaba. A obra vai continuar, vai ser recomeçada imediatamente e a duplicação é uma garantia do governo, porque isso está contratualizado. A comissão ficará vigilante e nós não vamos abrir mão, de jeito nenhum, da duplicação e da manutenção das tarifas sem impacto em relação à reprogramação dos prazos para as obras”, afirmou o deputado federal Marcus Vicente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário